sábado, 4 de Dezembro de 2010

RESUMO DA LIÇÃO 11 – A VIÚVA DE SAREPTA: UM SALTO DE FÉ.

Qual é o nome desta viúva? Mais uma vez vamos estudar sobre uma pessoa que não nos é dito o seu nome. Isso mostra que Deus estava preocupado em mostrar-nos as atitudes de fé e confiança desta mulher, mais do que qualquer coisa. Naqueles dias, ser viúva era viver no abandono, no anonimato e no desprezo. Se tivesse filhos, poderia ter certa esperança de segurança. Mas se não os tivesse, uma vida de amargura era esperada. No caso estudado, a Bíblia menciona que a viúva tinha um filho. Pela descrição, tudo indica que fosse talvez um juvenil. Onde ficava Sarepta? Sarepta ficava na Fenícia, próximo de Tiro e Sidon. Hoje, Sarafand ocupa o local da antiga Sarepta, que fica no litoral do mar mediterrâneo. Era uma terra pagã, e Elias foi enviado por Deus para fazer uma visita àquela terra. Jesus esteve nesta terra também. É-nos dito que Ele curou a filha com demónios, de uma senhora que habitava na Fenícia. Ver em Mateus 15. Aquela viúva saiu naquela manhã para recolher alguma lenha para assar o último pão e depois, aguardar a morte. Imagine a pobreza daquele lugar!

VERSO ÁUREO: “Tendo por certo isso mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo.” Filipenses 1:6

DOMINGO: ATÉ SAREPTA. Que motivo principal levou Elias àquela região? Foi a idolatria daquele povo. O grande profeta de Deus, Elias, foi levado até lá para combater a idolatria daquele povo, pois a nação de Israel tinha, praticamente se convertido ao paganismo. O culto à Baal tinha se tornado na religião oficial do estado. Deus nunca deixa Seus filhos à mercê da escuridão espiritual. Sua luz sempre brilha para clarear a vida dos Seus filhinhos. O povo adorava o deus da tempestade, da chuva, do vento e da natureza: Baal; e não adorava o Deus criador. Por que Deus deu ordens para não chover? Elias saiu de onde estava, junto ao ribeiro de Querite, e foi até Sarepta com a mensagem de Deus. Ver I Reis 17: 1-9. baal era uma importante divindade do povo da região da Fenícia. Mas, como Jezabel era pagã, e desta região, depois de ter se casado com Acabe, importou o culto à baal para Israel. Então Deus usou o profeta para dar uma mensagem clara à Acabe. A mensagem era de que não choveria por certo tempo para provar que quem está no controle de tudo é o Senhor Jeová, o criador de todas as coisas. A seca não ocorreu só na terra de Israel, também se estendeu a outros lugares, inclusive na Fenícia, lugar onde dominava o falso deus baal. Ele nada pôde fazer para reverter a situação.

SEGUNDA-FEIRA: UM INSTRUMENTO INCOMUM. Qual foi este instrumento? Foi a fé que a viúva teve em um profeta do Senhor. Aquela mulher não vivia nem em Israel, e nem em Judá. Ela não estava acostumada em lidar com um profeta de Deus. Ao Elias aparecer diante dela, e pedir água, nada desconfiou de ser ele profeta. Ao Elias pedir pão, também não percebeu que tinha chegado o dia de Deus atender os pedidos dela, pois do modo como falou, procurava defender sua última refeição. Mas quando o profeta explicou-lhe que não temesse, que fizesse primeiro pão para ele, e que depois fizesse outro pão para ela e seu filho, e que a farinha e o azeite não terminariam, ela exerceu fé e procedeu segundo essa palavra. Ela percebeu em Elias alguém diferente e creu em sua palavra. Veja a expressão de fé desta mulher: “Vive o Senhor teu Deus, que nem um bolo temos, senão somente um punhado de farinha...” I Reis 17: 12. O que os outros estão vendo em nós? Mood certa vez disse: “uma vida vale mais do que 10 mil palavras." Somos o sal da terra e a luz do mundo para atrair e conservar pessoas para o reino dos céus. Qual foi o resultado da fé daquela mulher? A mulher acreditou; e como resultado, viveram ela, seu filho e Elias. Viveram como resultado da fé. Cada dia que passa estamos mais próximos da volta de Jesus. Nestes dias precisamos aprender a viver pela fé também. Para aqueles que estiverem vivos quando Jesus voltar, passarão pelas mais duras provas; como a perseguição e as pragas. Serão momentos difíceis onde a fé será o ingrediente necessário.

TERÇA-FEIRA: ENTREGA TOTAL. Por que Elias não solicitou alimentos para uma família em melhores condições? Elias é colocado aqui para representar Deus, e a viúva para fazer a vez dos filhos de Deus em situação miserável, relacionada ao meio de pecados em que vivemos. Entre o que Elias propôs e a realidade dessa proposta, a única fronteira, foi a fé desta nobre mulher. Elias disse à viúva que fizesse primeiro um pão para ele, e depois para ela e seu filho, e assim, a farinha e o azeite só terminariam quando a seca passasse. Era disso que a mulher precisava, e aí estava a solução do seu problema. Mas, era necessário crer. Aqui a mulher é chamada para oferecer tudo o que ela possuía: um pouco de farinha e azeite. Era tudo o que ela possuía. Para salvar o mundo, Deus enviou o seu filho amado para para morrer pela humanidade. Deu o que de mais precioso possuía. A Mulher teve fé para oferecer o resto do que possuía. Que lições de Mordomia Cristã aprendemos aqui? que devemos oferecer tudo o que possuímos à Deus: Em primeiro lugar devemos entregar nossa vida a Deus, depois: Nossos talentos, nossa saúde, nosso tempo e os nossos recursos financeiros como os dízimos e as ofertas. A viúva pobre também depositou, no cesto das ofertas, tudo o que possuía. Abraão também desejou oferecer o seu filho Isaque à Deus, conforme está em Génesis 22.

QUARTA-FEIRA: A MEMÓRIA DOS MEUS PECADOS. A lei do carma está presente em várias culturas e mentalidades. Esta lei é a lei da ação e da reação. Ela diz: Para toda ação existe uma reação de força equivalente em sentido contrário. Se pratiquei o mal, então receberei de volta um mal em intensidade equivalente ao mal que pratiquei. Esta lei surgiu na mente das religiões orientais como: O budismo, hinduísmo e jainismo, e mais recentemente foi adaptado pelo espiritismo. O cristianismo não aceita esta lei. A lei do Cristianismo é o perdão, proveniente de um Deus que ama. Quem ama não castiga. O castigo de Deus será apenas no juízo final. Esta mulher deixou bem claro que pensava desta maneira. Ela disse: “Que tenho eu contigo homem de Deus? Vieste tu a mim para trazeres à memória a minha iniquidade, e matares o meu filho?” I Reis 17:18. Frequentemente bons cristãos interrogam-se, por que as coisas não correrem bem na vida. O que foi que eu fiz para que meu filho ficasse doente? Que pecado motivou esta calamidade na minha vida? É muito difícil explicar as tragédias que acontecem na vida humana. Muito cuidado devemos ter, ao consolar uma pessoa que sofre. E muita paciência devemos desenvolver, quando estivermos na fornalha das provações. Quanto mais próximos de Deus nos encontramos, mais nossos pecados são revelados, então quando acontece algo de errado nossa tendência natural é a de culparmos a Deus. As vezes fazemos isso de forma inconsciente.Ver Jó 42: 5 e 6.

QUINTA-FEIRA. PÔR A FÉ À PROVA. Quem teve mais fé, Elias ou a viúva? Imagine o conflito que Elias passou com a morte daquele moço! Os profetas também demonstravam dúvidas quanto ao cumprimento das palavras do Senhor. A sua oração refletia um pouco de falta de fé. Aumentar o azeite e a farinha era pouco em relação a ressurreição do moço. Deus sempre nos surpreende com a Sua maneira grandiosa de nos impressionar. Nosso crescimento na fé e na utilidade depende em grande parte, da abertura que damos para Deus atuar em nosso favor. Elias também demonstrou um pouco de falta de fé quando clamou a Deus e disse: “Ó Senhor meu Deus, também até a esta viúva, com quem eu moro, afligiste, matando-lhe seu filhos.” I Reis 17:20. Havia desespero naquela casa. Lá em cima estava Elias cobrando de Deus, e cá em baixo, a mulher estava desesperada com a morte do seu único filho. Após Elias orar, e colocar-se sobre o corpo do rapaz por três vezes, o menino reviveu. Além de ser ressuscitado e alegrar a todos, o menino não estava mais doente. Ficou totalmente restabelecido. Quando Deus cura é para valer. Sua cura é completa e definitiva.

Lições a tirar deste estudo: 1) Deus não está limitado por geografia. Elias atravessou a fronteira por ordem divina. 2) Deus não está limitado por preconceitos humanos. Ele ama a todos. 3) Nem mesmo a morte pode interferir nos propósitos de Deus. 4) Devemos disponibilizar nossos recursos para abrigar os servos de Deus e manter o ministério. 5) O profeta de Deus teve alimento durante o tempo da seca I Rs 17:16. 6) A vida da viúva e de seu filho foi preservada I Rs 17:16. 8) Viram o milagre da ressurreição no moço. I Rs 17:23.

Um forte abraço,

Bom estudo.

Luís Carlos Fonseca

1 comentário: